Escolha uma Página

Alimentação hidratante: tenha o corpo fresco e bem disposto

Combata o calor e a desidratação com uma alimentação hidratante e inteligente

Nosso corpo é constituído em sua maior parte por água: um adulto tem, em média, cerca de 70% de seu corpo composto por água, enquanto que uma criança tem cerca de 80% ou mais. A água está presente em todas as estruturas e órgãos do corpo humano e é o elemento fundamental para todos os processos fisiológicos do organismo: respiração, digestão, excreção, mediações bioquímicas, transporte de substâncias, controle da temperatura corporal, produção de enzimas e de hormônios, metabolismo celular etc. Por isso, com a chegada do verão, é preciso ficar atento com a escolha dos alimentos pois eles possuem uma boa qualidade hidratante e evitam a desidratação e fadiga crônica.
Todo alimento, em geral, possui água. Alguns possuem muita, outros, pouca. Os que possuem água em abundância, exigem de nós menos consumo de água, porque hidratam o corpo naturalmente e facilitam todos os nossos processos metabólicos. Os que têm menos, exigem que consumamos mais água, para que as funções metabólicas) ocorram satisfatoriamente.
As frutas frescas são compostas por boa parte de água, já os biscoitos, bolos ou doces não, então a ingestão desses alimentos sobrecarregam o organismo e o corpo passa a ter uma digestão mais lenta. Alimentos frescos de origem vegetal, como saladas, legumes e frutas podem chegar a cerca de 95% de teor de água, o que é excelente para organismos desidratados, e bem diferente de alimentos secos como pães, bolachas, pizzas, bolos, frios, carnes secas e outros.

O consumo de alimentos ricos em água faz uma enorme diferença para o organismo. Então, vamos ver algumas dicas:

• Alimentos que hidratam: frutas, legumes e saladas.
• Alimentos que desidratam ou que exigem mais consumo de água:

› Farináceos, ou seja, todos os tipos de alimentos feitos com farinhas: pães, massas, bolos, biscoitos etc;
› Embutidos: salame, presunto, copa, mortadela, chester etc;
›Frituras, gorduras saturadas (manteiga, banha etc) e alimentos ricos em gorduras (creme de leite, chantilly, queijos amarelos etc);
› Salgadinhos industrializados;
› Doces, chocolates, balas, açucar, mel;
› Alimentos assados, salgados ou muito temperados;
› Condimentos: pimentas, alho cru, cebola crua, canela, cravo-da-Índia, gengibre, ketchup, mostarda, maionese;
› Carnes: de frango, de vaca, de peixe etc (Apesar de conterem água em certa medida, por serem muito fibrosas e exigirem cozimento ou fritura, levam à necessidade de consumir mais água depois de prontas);
› Arroz branco (o arroz integral, se bem feito, tende a manter mais umidade do que o arroz branco);
› Molhos: de carne, de tomate, bechamel etc;
› Amendoim

› Pipocas e alimentos caramelizados;
› Aveia seca, granola etc.

• Opções para o café da manhã: frutas frescas com iogurte; salada de frutas; suco de frutas; iogurte batido com água e um pouco de mel; maçãs cozidas (frescas ou geladas;), queijo branco com maçã fatiada; iogurte, sementes de girassol cruas, mais amêndoas cruas, junto com um pouco de geleia de amoras e água (fresca ou gelada); pão integral com queijo fresco e um copo de suco de frutas; sucos de vegetais frescos (3 cenouras+1/2 maçã+ 1 talo de aipo; ou 3 cenouras+1/2 pepino+1/2 maçã; etc) etc.

• Opções para almoço e jantar: legumes no vapor levemente temperados com limão, pouco sal marinho e um pouco de azeite; saladas variadas (rúcula, escarola, repolhos, cenoura, tomate, pepino, agrião etc); comidas árabes (homus, babaganouch, coalhada fresca e tabule), com pouco pão de acompanhamento; salada de macarrão (macarrão tipo parafuso, servido frio, com legumes – abobrinha, tomate etc – e temperos leves); pão integral + rúcula + tomate + mussarella de búfala + pitada de sal marinho + um fio de azeite, acompanhado de suco de
frutas frescas; patê de ricota com nozes picadas, sal marinho, azeite junto com salada de folhas + pepino e cenouras cortados em tiras; etc.

Uma outra dica bem simples é colocar algumas gotas de limão, caso os alimentos ou sucos sejam muito doces, porque mesmo algumas frutas naturais, quando muito maduras, são muito doces e causam mais sede. E, ao invés de comer frutas muito maduras, coma-as um pouco mais firmes ou menos maduras: as frutas vão perdendo a água na medida em que amadurecem, além de que o sabor levemente azedo das frutas normalmente refresca o organismo, enquanto o sabor doce aquece.

X